Buscar
  • Professor João Paulo Lima - CREF n.º

Corrida de rua como fator de inserção social

Você já ouviu falar que a corrida de rua também é um fator de inserção social? Pois bem, é possível considerar que a corrida de rua é muito mais do que um instrumento de saúde física: sua prática frequente favorece o crescimento afetivo-emocional e a inserção do indivíduo ao seu ambiente social de uma maneira saudável e adaptada.

Para você amante da corrida e para quem está iniciando, é importante saber que a corrida de rua é um campo de ação e vivências sociais onde normas e comportamentos sociais são aprendidos.


A convivência de pessoas com os mesmos objetivos possibilita o aprimoramento de muitos comportamentos sociais que talvez não pudessem ser eliciados e nem mesmo emitidos não fossem essas interações.


Dessa forma, é possível dizer que a corrida de rua pode propiciar a formação de grupos, interações sociais, e de indivíduos socialmente habilidosos e com boa qualidade de vida.



Dentre todas as interações, é de suma importância o fator superação, onde através do apoio encontrado nos grupos formados durante a prática da corrida, o praticante com o apoio dos demais colegas estará mais disposto a se superar a cada corrida, melhorando desta forma seu comportamento emocional e pessoal.


Com o passar dos anos, a corrida de rua deixou de ser apenas uma prática de exercício físico e passou a ser considerada um remédio para a saúde, onde muitos praticantes relatam que deram início à corrida de rua por questões de saúde física e mental, bem estar, controle do estresse e superação de limites.


Desta forma observamos o quanto de benefícios é possível obter com a prática da corrida de rua, através dessa modalidade é facilitada ao praticante a sua socialização e adaptação a um novo convívio social.


Cientistas sociais afirmam que o ser humano desenvolve grande parte do seu comportamento dentro do contexto social, confirmando assim, mais uma vez, o quão é importante a corrida de rua, que irá criar a inserção dos praticantes em grupos de diferentes níveis socais, idades, sexo, escolaridade, entre outros fatores.


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo